quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

EUA prepara-se para atacar a Líbia


Ontem publiquei a grave, e agora confirmada, denúncia feita por Fidel Castro sobre os preparativos da OTAN para atacar a Líbia (aqui).

Hoje, Obama confirmou "que irá coordenar ações com os aliados europeus para conter a violência no país" (aqui).

Já vimos esse roteiro.

Em 2002, os EUA se utilizaram da comoção internacional pelas mortes no ataque ao World Trade Center para invadir o Afeganistão.

Agora, os EUA se aproveitam do levante popular no mundo árabe para atacar a Líbia.

Não acredito nas notícias da Fox News nem em números de ONGs como a Human Right Watch, expulsa da Venezuela por opoiar a oposição golpista.

Esse mesmo tipo de imprensa se esforça para fazer-nos crer que a revolução no Egito se encerrou com a troca de Mubarak por uma junta militar composta por integrantes da ditadura.

Portanto, se conquistar a Líbia, o saldo para o imperialismo do levante árabe pode, por incrível que pareça, não ser tão ruim.

Não se trata de defender incondicionalmente o governo de Kadafi.

Mas os EUA não pouparão esforços diplomáticos, midiáticos e financeiros para controlar e dirigir os autênticos manifestantes líbios e, no fim, transformá-los em agentes inconscientes do imperialismo.

Uma coisa é certa: a pior das hipóteses é a invasão da OTAN.

Um comentário:

  1. Obrigada, companheiro, por nos manter sempre informados sobre a verdade.

    ResponderExcluir