segunda-feira, 29 de março de 2010

O Mundo Bizarro de José Serra


Do blog "Brasília, eu vi", do jornalista Leandro Fortes.

O comando da Polícia Militar de São Paulo, sob as ordens do governador José Serra, do PSDB, não nutre a mais pálida consideração pela inteligência alheia. A nova versão de que o sujeito barbado flagrado pelo fotógrafo Clayton de Souza, da Agência Estado, seria um policial militar que estava “passando” pela maifestação é um acinte, para se dizer o mínimo. Esse tipo de coisa, aliás, é uma das mais nefastas heranças da ditadura militar dentro da PM. O desprezo total pelo bom senso e pela lógica em nome do cumprimento irrestrito de uma ordem, ainda que uma ordem espúria. Lembra, de muitas formas, o desastre do Riocentro.

Então, a PM de São Paulo quer combinar o seguinte:

Fulano, esse jovem da foto, policial militar de folga há muitos dias (daí a barba), mortificado pelo tédio, aproveitou o dia livre para tomar um pouco de ar e se viu, vejam só, bem no lugar onde colegas enviados pelo governador desciam pauladas e gás pimenta em professores em greve. Continue lendo aqui

domingo, 28 de março de 2010

Choque de Gestão - Parte 4: Violência, Desrespeito e Privatização


A cada dia que passa, o Correia de Transmissão tem mais convicção do desastre que é um governo do PSDB, seja em São Paulo, em Minas Gerais ou em qualquer outro lugar.

Em São Paulo, o governo de José Pedágio conseguiu mais uma vez transformar uma greve de funcionários públicos em uma batalha campal. Dessa vez, as vítimas foram os professores estaduais (aqui). Mas os estudantes da USP, as vítimas das enchentes e até os policiais civis já conheceram a incompetência e truculência com que José Pedágio trata aqueles que ousam discordar de seu governo.

Porém, se por um lado José Pedágio trata os opositores a cacetete, por outro, segue submisso aos interesses privatizantes da elite paulista. O próximo alvo são as escolas técnicas. Depois dos primeiros passos serem dados ainda no governo do também tucano Mário Covas, a Secretaria da Educação de SP quer privatizar o Centro Paula Sousa, responsável pelas escolas técnicas do estado (aqui).

Em Minas Gerais, em um ato de total insensibilidade às necessidades do povo, outro tucano, Aécio Neves, inaugurou um suntuoso centro administrativo no valor de R$ 2 bilhões (o orçamento inicial era um quarto desse valor, R$ 500 mil). Esse dinheiro seria suficiente para construir milhares de casas populares mas foi encher ainda mais o bolso das grandes empreiteiras do país. Durante a construção, não faltaram denúncias de super-exploração aos trabalhadores com paralisações dos operários para que que fossem pagas as horas extras e por mais e melhores equipamentos de segurança. Um operário morreu durante a obra (aqui).

Reprimir os movimentos sociais, ignorar o povo e bajular as elites são uma marca registrada do PSDB/PFL. Eles contam com o irrestrito apoio do PIG que mandará os escrúpulos "às favas" e fará de tudo para eleger Pedágio presidente.

Não conseguirão. O povo brasileiro não deixará.



terça-feira, 23 de março de 2010

Seja Subversivo!

A ótima banda de Punk Rock, Os Subversivos, prepara-se para lançar seu terceiro CD.

Depois de "Hinos de uma Luta de Classes" e "Democracia Vermelha", será a vez de "Século de Ferro e Flor"

Você pode comprar o novo CD antecipado e ajudar a banda através do e-mail subversivos.contato@gmail.com ou do site www.subversivos.com

Como aperitivo, veja abaixo um clip da música que Os Subversivos fizeram em homenagem a Luiz Carlos Prestes, O Cavaleiro da Esperança.



sábado, 20 de março de 2010

Os Caças da FAB e a Transferência de Tecnologia


O governo brasileiro deve mesmo escolher o caça francês Rafaele para reequipar a Aeronáutica. (aqui)

Desde o início, essa já se apresentava como a melhor proposta por ser a única capaz de garantir a transferência de tecnologia.

A proposta norte-americana "A" (o F-18) e a proposta norte-americana "B" (o sueco, cujos principais componentes são produzidos por empresas dos EUA) só foram defendidas pelo PIG devido ao seu alinhamento automático aos interesses dos Estados Unidos.

Porém, a escolha dos caças franceses não encerra esse assunto. Devemos agora discutir como se dará essa transferência de tecnologia.

Segundo um comunicado da Dassault, empresa francesa que produz o Rafaele, "O programa de cooperação industrial da proposta francesa é bem fundamentado, com acordos assinados com 39 empresas para 68 projetos e parcerias com a Universidade Federal do Rio de Janeiro e o ITA." (aqui)

Portanto, com excessão da UFRJ e do ITA, a tranferência de tecnologia da França para o Brasil se dará, na prática, através de empresas privadas. Talvez, dependendo do teor dessas acordos, possamos até dizer que a transferência de tecnologia será para essas empresas especificamente e não para o Brasil como um todo, apesar de que todos os brasileiros pagarão por ela.

Qual o compromisso social que as empresas beneficiadas terão com o país e com os trabalhadores?

Qual o poder de influência que o governo, que afinal foi quem pagou pela tecnologia, vai ter sobre o seu uso?

Certamente, pelo seu tamanho e importância, a Embraer será uma das favorecidas. Porém, devemos lembrar que essa mesma empresa demitiu 4.200 funcionários (20% de seu total) no auge da crise financeira de 2008/2009. Ou seja, a Embraer privilegiou seus interesses imediatos e privados em detrimento dos interesses dos trabalhadores e do país.

É justo que uma empresa que se beneficiará de um programa público bilionário de transferência de tecnologia tenha total autonômia para perseguir apenas seus interesses individuais?





quarta-feira, 17 de março de 2010

Vitória! Movimento Estudantil de Pernambuco conquista Restaurante Universitário



Há anos os estudantes da Universidade Federal Rural de Pernambuco (ou simplesmente Rural, como é conhecida) sofrem com a falta de um Restaurante Universitário (RU).

Depois de muitas mobilizações, o reitor da UFRPE, Valmar Corrêa, viu-se obrigado a reabrir o RU. Entretanto, demostrando total desconhecimento da realidade vivida pelos estudantes da universidade, o reitor tentou cobrar absurdos R$6,00 pela refeição.

Porém, já no primeiro dia da cobrança, os estudantes da Rural, organizados pelo DCE, ocuparam o restaurante.

Pressionado e impressionado com a manifestação, o reitor recuou e os estudantes conseguiram reduzir o preço do bandejão pela metade.

"Os estudantes são um só, enquanto houver estudantes que não podem se alimentar no bandejão, nós vamos, unidos, garantir que todos possam", disse Yuri Pires, presidente do DCE-UFRPE.

Para aqueles que acham que o movimento estudantil está "fora de moda" e que os protestos não levam a nada, tá aí uma boa resposta.

Leia mais no blog da UNE Rebelde
__________________________

PS: Além da UFPE (que, por sinal, continua sem RU), estudei na UFU e na Unicamp. Em Uberlândia, o bandejão custa R$3 (e há aproximadamente 500 estudantes que são dispensados do pagamento). Em Campinas, custa apenas R$2. A proposta de R$6 do reitor da UFRPE é simplesmente sem noção!

sexta-feira, 12 de março de 2010

Empresas estatais aumentam investimentos e geração de empregos


Segundo o Ministério do Planejamento, o investimento das empresas estatais federais aumentou 277% entre 2002 e 2009. (aqui)

Isso mesmo, 277%!

Era de R$ 18 bilhões e passou para R$ 71 bilhões.

Além disso, essas empresas criaram, contando apenas os empregos diretos, mais de 90 mil novos postos de trabalho.

Esses números dão uma noção da importância dessas empresas para a economia nacional e, ao mesmo tempo, do crime lesa-pátria que é a privatização.

Ainda restam 119 empresas estatais federais.

Pergunta que não quer calar: quanto essas empresas investiriam no Brasil se tivessem sido privatizadas?


quinta-feira, 11 de março de 2010

Um partido exemplar


Assisti há pouco um discurso do Senador Agripino "300 por fora" Maia (PFL/RN), do dia 24/02, em que ele dizia que o PFL é um partido exemplar.

O senador disse que o PFL não promove o ressurgimento de políticos corruptos e a prova disso é que o partido havia expulsado José Panetone Arruda, ex-governador do DF.

Entretanto, o senador está duplamente errado.

Em primeiro lugar porque Panetone Arruda não foi expulso e sim desfiliou-se do PFL.

E segundo porque o próprio Arruda já havia renunciado ao senado para fugir da cassação quando violou uma votação secreta do plenário. Na época ele era do PSDB. Passado um tempo, ele voltou à política pelo PFL, sendo eleito governador.

Portanto, o PFL promove sim o ressurgimento de políticos conhecidamente corruptos.

Como se não bastasse, vários senadores pediram a palavra para concordar com Agripino.

Hipocrisia sem limites.


segunda-feira, 1 de março de 2010

O PIG em campanha


Olhem a pérola do jornalismo imparcial que a colunista Ana Lúcia Andrade, do Jornal do Comércio de Recife, publicou no dia 28/02/10.

Depois de constatar as dificuldades de Serra, ela sugere, sem maiores pudores, qual a melhor campanha para o candidato do PSDB/PFL.

"Talvez o caminho para diferenciar o candidato tucano da candidata petista seja o de convencer o eleitor de que Serra executa, não fica só no discurso. De que Serra não é só promessa de fazer no futuro, ele fez no passado e faz no presente. A trajetória como ex-ministro da Saúde e agora governador de São Paulo estão aí."

Em suma, a jornalista pede que o PSDB faça o que ela mesmo já está fazendo.

Quem disse que Serra "executa" e Dilma é "só discurso"?

Quem disse que Serra "fez no passado e faz no presente"?

Esses "argumentos" pró-Serra são típicos de uma jornalista que se diz indepedente ou de um marketeiro tucano?

Eles são fruto de uma verdade factual?

A administração Serra no governo de São Paulo são a prova disso?

Eu já não votava no PSDB por ser o partido das privatizações. Mas, agora que moro em São Paulo, não voto em Serra pela sua incompetência administrativa.

Para citar apenas um exemplo, enquanto a capital paulista afundava com as chuvas de verão, Serra estava fazendo campanha no Galo da Madrugada.

Francamente, em sua coluna, a jornalista revela toda sua torcida pelo candidato do PSDB.

É claro que ela tem o direito de militar no partido que quiser. Mas, nós, leitores, deveríamos ter também o direito de sermos informados disso.