quarta-feira, 29 de abril de 2009

Vitória de Correa é mais uma derrota do imperialismo na América Latina


"Continuaremos fazendo o que temos feito e continuaremos com o socialismo. Foi para isso que o povo equatoriano votou". Rafael Correa

No dia 26/04, 10,5 milhões de equatorianos compareceram às urnas para reeleger o presidente Rafael Correa. Com 51,9%% dos votos, Rafael Correa venceu com folga Alvaro Gutierrez, ex-presidente neoliberal deposto, que obteve 27,9% e Álvaro Noboa, latifundiário e considerado o homem mais rico do Equador, que obteve apenas 11,7%. (números com 78% das urnas apuradas)

A vitória de Rafael Correa pode ser explicada por vários fatores:

-Correa propôs e aprovou por plebiscito uma nova constituição como símbolo e alicerce fundamental para a construção de uma nova nação.

-Incentivou e aprofundou os laços políticos, econômicos e de solidariedade com os demais países da América Latina. Em especial, estabeleceu uma aliança estratégica com Cuba, Venezuela e Bolívia.

-Mostrou patriotismo ao expulsar a base norte-americana instalada em Manta, na costa equatoriana, e coragem ao defender a integridade de seu país quando este foi invadido pelo narco-exército da Colômbia.

-Impediu que seu país fosse explorado por multinacionais como quando, por exemplo, puniu a Odebrecht por construir uma hidroelétrica que não funciona. (Aqui no Brasil, a mesma Odebrecht foi a responsável pela cratera em São Paulo que matou 11 pessoas, mas não sofreu nenhuma punição.)

-Decretou moratória parcial da Dívida Externa por reconhecer que ela foi feita por governos ditatoriais contra os interesses do povo.

Portanto, a vitória de Rafael Correa é a vitória de um governo que optou por governar para o povo e não para os grandes capitalistas e latifundiários.

É um exemplo a ser seguido e mais uma derrota do imperialismo na América Latina.

terça-feira, 28 de abril de 2009

Serra lança jingle da campanha para presidente - Assista!



Em 2010, os brasileiros têm uma grande missão: DERROTAR JOSÉ SERRA!

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Gilmar Mendes censura TV Câmara



O programa de entrevistas "Comitê de Imprensa", da TV Câmara, recebeu, no dia 11 de março de 2009, os jornalistas Leandro Fortes, da Carta Capital, e Jaílton de Carvalho, do jornal O Globo.

A entrevista, entretanto, nunca foi ao ar. Gilmar Mendes, presidente do supremo e líder da oposição proibiu sua exibição.

Clique aqui para ver a TV Câmara admitindo que sofreu pressão do STF; aqui para ler a carta do jornalista censurado Leandro Fortes; e aqui se você ainda tem dúvidas de que Gilmar Mendes é o líder da oposição.

No programa, cujo vídeo foi colocado na internet antes da censura de Gilmar Mendes, os jornalistas evidenciam vários fatos relacionados à Operação Sathiagraha, à CPI dos Grampos e ao papel do STF nesses casos.

Entre os vários pontos levantados, destaco:

1) Desde o início da Operação Sathiagraha, a mídia colonizada têm feito uma sistemática campanha de difamação e sabotagem contra o delegado Protógenes com claros benefícios para Daniel Dantas.

2) Até hoje, mesmo depois de investigações da Abin e da própria PF, não há nenhuma prova de que houve grampo ilegal. A CPI dos grampos é apenas um palanque da oposição.

3) Gilmar Mendes atua paralelamente como empresário, dono de uma escola de direito em Brasília. Essa escola conseguiu desconto de 80% no valor do terreno que pertencia ao governo do DF, financiamento do Banco do Brasil e têm mais de R$ 1 milhão em contratos assinados com órgãos públicos sem licitação.

4) O objetivo mais geral da reação contra a Sathiagraha é acabar com as grandes operações contra a corrupção feitas pela Polícia Federal.

É por tudo isso que só há um desfeixo possível e digno para esse caso:

PRISÃO PARA DANIEL DANTAS E IMPEACHMENT PARA GILMAR MENDES

Qualquer coisa diferente é golpe.

sábado, 25 de abril de 2009

Manifestantes dos EUA propõem plano alternativo para sair da crise


Com certeza, bem mais barato que os planos de Bush e de Obama.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Manifestação de Apoio ao Ministro Joaquim Barbosa



Segue abaixo carta enviada a todos os ministros do STF e ao Conselho Nacional de Justiça

Aos Excelentíssimos Ministros do Supremo Tribunal Federal,

Eu, 0000000-0000, brasileiro, economista, portador do RG no 0000000-0000, venho expressar minha total concordância e apoio às declarações do Excelentíssimo Ministro Joaquim Barbosa a respeito da atuação do Ministro Gilmar Mendes. Tal como o Ministro Joaquim Barbosa, acredito que o Ministro Gilmar Mendes tem se exposto na mídia nacional com declarações que julgo extrapolarem suas funções como ministro do STF.

Essas atitudes, sem dúvida, têm contribuído para destruir a credibilidade da Justiça Brasileira. Não por acaso, as atitudes do Ministro Gilmar Mendes são vistas muito mais como próprias de um “líder da oposição” do que de um ministro do STF, de quem se espera isenção e imparcialidade. Some-se a isso sua lamentável postura no caso Daniel Dantas, as denúncias feitas pela Revista Carta Capital e as restrições ao seu nome apontadas pelo ilustre Professor Dalmo Dallari.

Assim, as declarações do Excelentíssimo Ministro Joaquim Barbosa expressam o mais genuíno sentimento do povo brasileiro. É a “voz das ruas”, que deveria ser mais ouvida por todos os poderes da República.

Sem mais,