terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Serra, o bicão


A cidade de São Paulo, governada pelo consórcio demo-tucano, ficou embaixo d'água com as chuvas de dezembro. Uma situação de calamidade tão flagrante que não há propaganda eleitoreira no mundo que consiga escondê-la.

O que fez o "competente" José Serra?

Assumiu a culpa pela falta de investimentos em infra-estrutura e comandou pessoalmente as operações de recuperação da cidade?

NÃO!

José Pedágio fugiu! Foi para Copenhague! Na Dinamarca!

Lá, acontece a Conferência Mundial do Clima, onde está sendo discutido um tratado de proteção ao meio-ambiente semelhante ao Protocolo de Kyoto.

O representante brasileiro é o Presidente da República, o único que pode assumir compromissos internacionais desse porte.

Por outro lado, José Pedágio não tem nada o que fazer lá.

José Pedágio quer fugir da responsabilidade pela sua desastrosa administração.

Quer também, a todo custo, aparecer no noticiário internacional porque morre de inveja da projeção que o Lula está alcançando.

Porém, José Pedágio foi merecidamente ignorado em Copenhague.

A única "personalidade" com quem se reuniu foi o grande líder mundial ... Arnold Schwarzenegger!

Para agradar o PIG e a elite brasileira, Serra fez seu discurso histórico ao lado do "exterminador" falando em inglês.

Só que: "Schwarzenegger arrancou risos da plateia ao dizer que não só ele falaria inglês com sotaque (ele é austríaco), numa referência a Serra" (aqui)

Hahahahahah!

José Pedágio foge de seus deveres em São Paulo, vai de penetra para Dinamarca, é ignorado por todos e, de quebra, acaba virando motivo de piada do Exterminador do Futuro!

Patético!

Como se não bastasse, a proposta defendida por Serra é de que países como o Brasil paguem pela poluição feita nos países ricos. (leia aqui o excelente artigo do blog Amigos do Presidente Lula)


Primeiros 10 anos

"Aquele que não conhece A VERDADE é simplesmente um ignorante,mas aquele que a conhece e não a diz, este é um criminoso." Brecht


(Clique na figura para ampliar)

Presidente da Argentina recebe ameaças


No dia 11/12, a frequencia de rádio do helicóptero que conduzia a presidente Cristina Kirchner foi invadida com ameaças de morte contra a líder argentina. (aqui)

Além das ameaças e insultos, os invasores tocaram também um pequeno trecho da música militar "Avenida de las Camelias". Ela foi usada como fundo musical no anúncio do primeiro comunicado da Ditadura Militar argentina, em 1976.

A ameaça coincide com o início do julgamento de 19 torturadores da ditadura militar.

O Correia de Transmissão não tem nenhuma dúvida de que a Direita do continente, inclusive a brasileira, recorrerá a todos os meios que estiver a seu alcance para impedir o movimento por mudanças sociais que hoje percorre a América Latina.

domingo, 13 de dezembro de 2009

Eleição do Chile: Quem gosta do centro?

As vitórias de Rafael Correa no Equador, Pepe Mujica no Uruguai e Evo Morelas na Bolívia (para ficar apenas com as deste ano) são a consolidação da vontade popular da América Latina por mudanças e sua aversão aos políticos de direita.

No Chile, o mandato de Michele Bachelet representou, sem dúvida, uma derrota para as forças conservadoras do país. Apesar disso, Bachelet sempre procurou firmar sua imagem como de uma política de centro, no máximo de centro-esquerda.

Uma prova disso é a escolha pelo seu partido de Eduardo Frei para sucedê-la. Frei é ex-presidente do Chile e só com muito esforço pode-se considerá-lo de esquerda.

A escolha de Frei provocou uma divisão na esquerda chilena que resultou na candidatura de Marco Enriquéz-Ominami. Ominami, mesmo sem o apoio de grandes partidos, pode chegar em segundo lugar nas eleições de hoje, o que o levaria para o segundo turno no lugar de Eduardo Frei.

Em primeiro lugar, segundo as pesquisas, deve chegar o direitista Miguel Piñeira, considerado um dos homens mais ricos do pais, dono de empresas de comunicação, aviação e até de um time de futebol (Colo-Colo).

A vantagem de Piñeda é temporária, fruto apenas da divisão da esquerda entre Frei e Ominami. Com um ou com outro, essas forças estarão novamente juntas no segundo turno e devem derrotar Piñeda.

Mesmo que não consiga chegar ao segundo turno e tornar-se presidente, o sucesso da candidatura de Ominami pode significar que o movimento de mudanças da América Latina é muito mais consciente e menos dependente do "carisma" do governante (Bachelet tem mais de 70% de aprovação).

Talvez, isso tenha importantes implicações também para o Brasil.

sábado, 12 de dezembro de 2009

O DEM é o que sempre foi: o Partido da Ditadura


Desde o dia 10/12/09, quando José Panetone Arruda se desfiliou do PFL, o Brasil não tem mais NENHUM governador pefelista.

Como esse blog já havia dito, isso não ocorre desde a instalação das Capitanias Hereditárias, em 1504.

Mas, já que José Panetone Arruda continua como governador do Distrito Federal, é como se o PFL ainda estivesse governando, pelo menos "em espírito".

Uma prova disso é a crescente onda de violência da Tropa de Choque do DF contra as manifestações que pedem o impeachment dos envolvidos no Mensalão do DEM.

Essa é a única maneira de Panetone Arruda permancer como governador: instalar um ditadura no Distrito Federal.

Nesse caso, sua desfiliação foi apenas simbólica. Ele continua governando como se fosse um membro do PFL. Afinal, o PFL é o que sempre foi: o Partido da Ditadura!

EU QUERO UM BRASIL SEM PFL!

A Bolívia segue em frente


A vitória de Evo Morales na eleição da Bolívia foi incontestável.

Com 94,3% das urnas apuradas, Evo tem 62,5% dos votos. Mais que o dobro do segundo colocado, Manfred Reyes Villa, que tem apenas 28,2%.

Vale lembrar que o candidato a vice da oposição é Leopoldo Fernandéz, preso por ser o mandante do massacre de Porvenir, em setembro de 2008, quando 30 indígenas foram assassinados.

Com a vitória de Morales e de Pepe Mujica no Uruguai, o cerco se fecha cada vez mais para as forças de direita e reacionárias no continente.

Isso, entretanto, deve nos manter alertas. Acuados pelas urnas, os conservadores não hesitarão em instalar ditaduras disfarçadas ou descaradas.

Se alguém tiver alguma dúvida disso, pergunte aos colombianos e hondurenhos, respectivamente.


sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Nobel de quê?


Ontem, Obama discursou em Oslo (Noruega), onde foi receber o Prêmio Nobel da Paz.

Ao vê-lo discursar, lembrei-me da época de sua campanha presidencial. Obama tinha o mesmo tom firme e seguro. As palavras bem articuladas e bem pronunciadas. O mesmo olhar mirando o horizonte. A mesma certeza de que estava fazendo um pronunciamento histórico.

Entretanto, alguma coisa havia mudado. Algo está diferente. Muito diferente.

Além de reconhecer o golpe em Honduras, Obama é o chefe de duas guerras imperialistas.

A alegria da esperança deu lugar ao gosto amargo da hipocrisia.

Agora, o tom firme e seguro soa como autoritário. O olhar distante parece ignorar o sofrimento de iraquianos, afegãs, hondurenhos e tantos outros. Os discursos, antes "históricos", são meros lugares-comuns tentando justificar o injustificável.

Fiquei com a impressão de que, para Obama, o Nobel da Paz é mais um peso que um prêmio. É o peso da indisfarçável hipocrisia.


quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Enquanto São Paulo afunda, Kassab quer aumentar publicidade


Devido a falta de investimentos, a cidade de São Paulo tornou-se um caos com as chuvas de verão.

O que você, caro leitor, acha que um governo responsável deveria fazer em uma situação como essa?

Para Gilberto Kassab (PFL), prefeito da cidade, a solução é aumentar a propaganda!

Isso mesmo! Seria piada se não fosse trágico, mas Kassab propôs no orçamento de 2010 um gasto recorde com propaganda da prefeitura. (aqui)

Eis os gastos previstos:
Reforma dos Corredores de Ônibus: R$ 20 milhões
Obras e Gerenciamento de Áreas de Risco: R$ 25 milhões
Publicidade: R$ 126 milhões

Kassab, a elite paulistana e o PIG riem dessa situação de calamidade.

E o povo?

Que se exploda! (Ou que se afogue)




quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Viva Cuba!

(Clique na imagem para ampliar)


O PIG e a Chuva


Perfeita a sacada de Glauco Cortez sobre as manchetes da cobertura do PIG de São Paulo sobre o alagamento da capital paulista.

Folha de São Paulo: Frente Fria provoca maior chuva desde 2007 em São Paulo; seis morreram (aqui)

Estado de São Paulo: SP sai do estado de atenção após maior temporal desde 2007 (aqui)

Ora, mas se estamos em 2009, isso quer dizer que apenas o verão de 2008 não teve uma chuva tão forte.

O PIG quer colocar a culpa dos alagamentos na chuva.

E, mais uma vez, salvar a pele de José Pedágio e Kassab.

Conheça o Educação Política, o blog de Glauco Cortez

Jornal Nacional em queda

Ao longo da última década o Jornal Nacional perdeu quase 20% da sua audiência. De 39,2 pontos no Ibope em 2000 caiu para 31 pontos este ano. (aqui)

Na opinião do Correia de Transmissão, essa queda é ainda maior.

Por dois motivos:

Primeiro porque não é de hoje que o Ibope trabalha a serviço da Rede Globo e segundo porque esses números são apenas referentes à Grande São Paulo. Meu palpite é que no resto do país a situação é ainda pior para o jornal mundialmente conhecido pela manipulação do debate Collor X Lula em 1989.

O PIG está em extinção!

Jogue o PIG no lixo!


terça-feira, 8 de dezembro de 2009

"Não somos pagos para isso"




Atendendo à intimação da justiça (com letra minúscula mesmo), cerca de 700 (setecentos!) homens da polícia militar expulsaram os cidadãos que desde o dia 02/12 ocupavam a Câmara do DF em protesto contra o Mensalão do PFL.

Os manifestantes não resistiram à desocupação mas fizeram questão de serem carregados pelos policiais.

Enquanto isso, em um boeiro qualquer, podia-se ouvir a risada do ainda governador José Panetone Arruda.

A desocupação da Câmara com uso da força policial e a manutenção de Panetone Arruda no cargo é um escárnio com a população do Distrito Federal e do Brasil.

A contradição é tão grande que até mesmo um dos policiais afirmou com todas as letras: "a polícia está 'morta'. A gente não é pago para isso." (aqui)

Nada foi destruído ou depredado durante a ocupação.

O movimento pelo impeachment de Panetone Arruda continua!

FORA ARRUDA E TODA A MÁFIA!

Fora Arruda e Toda a Máfia - II




Desde o dia 02 de dezembro, a Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), está ocupada por cidadãos que cobram o impeachment do governador José Roberto "Panetone" Arruda, do PFL.

No dia 07, houve a primeira tentativa da polícia de desocupar a CLDF. Entretanto, por falta de efetivo, a operação foi suspensa.

No mesmo dia, a juíza Júnia de Souza Antunes, ameaçou processar o secretário de segurança do DF se não fossem mandados policiais suficientes para a desocupação imediata. (aqui)

(Por que a Justição nunca é tão rápida quando se trata de desapropriar latifúndio improdutivo?)

Em assembléia, no dia 08, os manifestantes decidiram desocupar o plenário da Câmara para que seja realizada a sessão que vai analisar as denúncias contra Arruda. A ocupação continua na galeria e em um dos corredores da CLDF.

O Correia de Transmissão apóia o Movimento Fora Arruda e Toda a Máfia.

Você pode acompanhar o movimento que já tem um blog, um site e até um canal de TV pela internet.

Para descontrair, ouça o Melô do Panetone, de autoria do próprio movimento

.


domingo, 6 de dezembro de 2009

Agora é cada um por si



O Correia de Transmissão já publicou aqui qual nossa opinião sobre a taxa de câmbio no Brasil.

Os trilhões de dólares que os países ricos despejaram para salvar os bancos (e os banqueiros) somados às quase nulas taxas de juros dos Estados Unidos estão provocando uma avalanche de capitais especulativos em direção aos países subdesenvolvidos.

Onde se instalam, esses capitais provocam bolhas financeiras e sobrevalorizam as taxas de câmbio. A qualquer momento, eles podem mudar de direção, deixando, mais uma vez, um rastro de destruição e crise.

A novidade é que os EUA estão declarando publicamente e na cara-dura que estão pouco se lixando para o problema dos países subdesenvolvidos.

Com a palavra, Ben Bernanke,presidente do Banco Central dos EUA:

"Não é tarefa do FED impedir o surgimento de bolhas fora do país. A política monetária dos EUA tem o objetivo de abordar questões financeiras e econômicas nos EUA. Os países que estão preocupados com isso [formação de bolhas] possuem suas próprias ferramentas para cuidar das bolhas em seus próprios países". (Valor Econômico, 04/12/09, p. C8)

Tecla SAP: Os EUA vão tirar o deles da reta e o mundo que se exploda!

E nós? O que vamos fazer?

Dormir ouvindo o William Waack e acordar ouvindo a Míriam Leitão?

2% de IOF é pouco!

Controles de Capitais Já!


Fora Arruda e Toda a Máfia


O movimento estudantil, popular e sindical do Distrito Federal ocupou, no dia 02 de dezembro, a Câmara Distrital em protesto contra os escândalos de corrupção no DF.

O movimento, que conta com a simpatia da população, pede o impeachment do governador José Roberto Arruda e de todos os envolvidos no Mensalão do PFL.

Entretanto, o presidente interino da câmara, Cabo Patrício (PT), ameaça usar a força policial para retirar os manifestantes.

O Correia de Transmissão sugere ao deputado Patrício que dê ao Brasil um exemplo de democracia e use a polícia para prender Arruda e seus comparsas e não para bater nos estudantes e nos trabalhadores.

Vá agora mesmo ao o blog da ocupação:
foraarrudaetodamafia.wordpress.com

E continuamos com a campanha: "Eu quero um Brasil sem PFL"!

sábado, 5 de dezembro de 2009

O Saldão do Serra



O governador de São Paulo, José Pedágio, resolveu vender todas as ações que o governo ainda possui, como acionista minoritário, em empresas privadas do estado. (Valor Econômico, 04/12/09, p.A3)

Como se sabe, José Pedágio é do PSDB, o partido das privatizações.

É o saldão do Serra!

Liquida geral. 50% off!

Mesmo como acionista minoritário, a posse dessas ações dá ao estado acesso a informações estratégicas e mantém algum poder de decisão sobre as empresas.

Mas, para o PSDB, isso é ruim. O bom, o chique, o moderninho, é vender tudo, sentar em cima das mãos, e assistir o mercado produzir uma crise atrás da outra.

A maior parte das ações que serão vendidas são da Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (Cteep). Segundo a reportagem do Valor, a venda das ações da Cteep e de outras empresas vai gerar um caixa extra de R$ 800 milhões.

Nada mal em um ano eleitoral.

O governo também abriu licitação para contratar uma consultoria financeira para auxiliar na venda das ações. Clique aqui para ver o edital.

O pregão eletrônico já é dia 18 de dezembro. Não há tempo a perder.

O Correia de Transmissão ficará de olho e promete procurar tempo para ler com cuidado esse edital.


sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

A Taxa de Câmbio do Brasil



Os governos dos países ricos fizeram pacotes econômicos trilhionários para salvar o sistema bancário (e os banqueiros).

Só o pacote dos EUA foi de mais de US$ 2,5 trilhões.

Com as taxas de juros norte-americanas perto de 0%, esse Monte Everest de dinheiro extra precisa de um local para se valorizar. Para onde ele for, criará novas bolhas financeiras.

Tão logo a conjuntura se altere, esse capital sai de um país para outro com a mesma velocidade e violência com que entrou.

A China avisou que não vai aceitar esse jogo e vai manter sua taxa de câmbio desvalorizada em relação ao dólar.

Por outro lado, o Brasil, segundo o Banco Goldman Sachs, tem a moeda mais sobrevalorizada do mundo. (clique aqui)

Ou seja, é pra cá que estão vindo os capitais especulativos.

Um taxa de câmbio sobrevalorizada significa que os produtos brasileiros ficam mais caros no mercado internacional. Isso prejudica a indústria e a geração de empregos.

O economista Paul Krugman, Nobel de Economia, já disse que a valorização do real é uma bolha. (clique aqui)

A professora Maria da Conceição Tavares é mais clara: "O Brasil precisa parar de engolir dólares" (clique aqui)

Foi para tentar parar com esse regime de engorda forçado que o governo resolvou taxar em 2% a entrada de capitais internacionais.

Isso é certo.

Mas é pouco.





quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Exclusivo!

Correia de Transmissão tem acesso ao ofício enviado por Obama para Álvaro Uribe, presidente da Colômbia, sobre o golpe em Honduras.

(Clique na imagem para ver melhor)



terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Contagem regressiva para um Brasil sem PFL


A Polícia Federal gravou o pefelista José Roberto Arruda, governador do Distrito Federal, recebendo dinheiro para financiar um suposto esquema de compra deputados do DF e de outros estados.

Se as denúncias se confirmarem, Arruda deve ser afastado do governo.

É o mensalão do PFL.

Nada que se espantar, pois mesmo mudando o nome, o PFL continua o PFL!

A novidade é que, pela primeira vez desde que foram implantadas as Capitanias Hereditárias, estamos prestes a viver em um país sem NENHUM governador pefelista.

Este blog já está na contagem regressiva para esse momento histórico.

É mais um passo para o fim definitivo desse partido que tanto mal fez a nosso país.

Está lançada a campanha: "Eu quero um Brasil sem PFL"



segunda-feira, 22 de junho de 2009

Ainda não entendeu como funciona a mídia colonizada? Tá aí o desenho


(Clique na imagem para ampliá-la)


Divulgada pelo amigo blogueiro Guilherme.
Produzida pelo www.quantotempodura.wordpress.com

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Serra vai pagar caro por ter invadido a USP



Como todos sabemos, o governador de São Paulo, José Serra é incompetente e autoritário no tratamento com os movimentos sociais e em especial com os movimentos grevistas.

Quem não lembra do confronto entre a Polícia Civil e a Polícia Militar nas ruas da capital paulista?

Dessa vez, porém, ao autorizar a invasão da USP pela tropa de choque, Serra passou de todos os limites.

É impossível que as imagens da invasão à USP não tragam à memória as cenas dos sombrios anos da ditadura militar.

Justamente esse período que é ainda uma chaga não totalmente cicatrizada da nossa história.

(Quando os arquivos da ditadura serão abertos?)

Do alto de sua arrogância, Serra acha que sairá impune desse crime.

Como de costume, conta com o apoio da mídia colonizada.

Ele diz que não podia fazer nada.

O problema é que essa desculpa não engana mais ninguém desde os tempos de Pilatos. Aliás, ao dizer isso, Serra apenas evidencia sua incompetência.

Mesmo aqueles que a princípio não eram favoráveis à greve, se juntaram ao movimento de repúdio à agressão contra a USP.

A invasão da USP é um tapa na cara da sociedade brasileira.

Todos devem sentir na própria face esse insulto.

Serra pagará caro por essa agressão.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

O blog da Petrobrás é mais uma derrota da mídia colonizada


Desde a instalação da CPI de Privatização da Petrobrás, a estatal brasileira tem sido o alvo da fúria inquisitória da direita e da imprensa golpista.

Para evitar que as informações fornecidas pela da empresa sejam editadas e manipuladas, a Petrobrás criou um blog em que divulga a íntegra das informações que fornece à imprensa e comenta as notícias a ela relacionadas.

Desde então, a mídia colonizada tem encabeçado uma raivosa campanha contra o blog.

Chegaram ao absurdo de dizer que ele é uma ameaça à liberdade de imprensa no Brasil.

Clique aqui para ler a estapafúrdia nota da Associação Nacional de Jornais (ANJ)

Entretanto, o Blog da Petrobrás acerta dois coelhos com uma só cajadada.

Em primeiro lugar, ele permite que a empresa se comunique diretamente com o público sem ter que passar pelo filtro reacionário da imprensa. Ele quebra com o monopólio da mídia.

E em segundo lugar, ele expõe aos olhos de todos a edição e a manipulação de informações que transformaram a imprensa brasileira em um verdadeiro estábulo de Augias.

Aliás, a própria reação da mídia colonizada é uma prova de que NÃO liberdade de imprensa no Brasil.

Falta agora a Petrobrás cancelar os milionários contratos de publicidade que fazem a fortuna dos mesmos meios de comunicação que querem vendê-la.

A CPI da Petrobrás mostrou mais uma vez que o povo brasileiro é contra as privatizações.

Se o governo Lula fosse realmente comprometido com as mudanças, deveria aproveitar essa oportunidade para demitir, por entreguismo, todos os diretores da ANP e nacionalizar o petróleo do país. (clique aqui).

Não deixe de acessar o Blog da Petrobrás, que, por sinal, é hospedado em um servidor gratuito.

domingo, 7 de junho de 2009

Ditadura Colombiana



No dia 06 de junho, um juiz colombiano decretou a prisão de três líderes indígenas: Aida Quilcue, Feliciano Valencia e Daniel Piñacué.

A denúncia contra os líderes foi feita por um militar colombiano que foi preso pelos índios no momento em que traficava armas em uma reserva indígena. (clique aqui)

Ou seja, o criminoso processou as pessoas que o prenderam.

A absurda situação serviu de pretexto para aumentar a repressão ao movimento indígena do país.

"É um caso claro de perseguição política contra o movimento indígena", declarou a Associação das Assembléias Indígenas do Norte (ACIN, sigla em espanhol)

A Colômbia é apresentada pela mídia colonizada como um símbolo da democracia na América Latina.

Na verdade, porém, é exatamente o oposto.

Na Colômbia, os opositores ao regime são perseguidos, presos ou executados. Por exemplo, o Partido União Patriótica, de esquerda, teve 5 mil de seus filiados assassinados pelos paramilitares de direita na década de 1980.

O governo é controlado por uma narcoburocracia. Na gestão de Álvaro Uribe, esse controle consolidou-se e ampliou-se, atingindo as altas esferas dos três poderes (incluindo o exército).

As eleições são uma grande fraude, com dezenas de casos de violência contra as comunidades pobres que rejeitam as políticas neoliberais de Uribe.

Na política externa, a Colômbia tem seguido as ordens dos EUA de tentar desestabilizar os governos democráticos e progressistas que têm surgido na América Latina.

O ataque às FARC em território equatoriano é o exemplo mais gritante da ameaça que a Colômbia representa para a região.

O objetivo da narcoburocracia colombiana é transformar o país em uma base de apoio para o avanço do imperialismo.

Uma espécie de Israel da América Latina.

A empenho da imprensa colonizada em esconder esses fatos é apenas mais uma prova de sua decadência.



quinta-feira, 4 de junho de 2009

FHC é testemunha de defesa de Roberto Jefferson: eles querem vender o país



Roberto Jefferson é uma figura mítica da política brasileira.

Desde que foi líder do governo Collor, o chefe do PTB tomou gosto pela coisa e é presença garantida em todas as artimanhas subterrâneas da política.

Roberto Jefferson chegou ao ápice ao dizer que partido não precisa de ideologia.

Sem dúvida, um mito.

Atualmente, Jefferson teve que sair um pouco da política para resolver seus problemas com a polícia. Ele é acusado de ter recebido dinheiro, o chamado mensalão, para votar a favor da Reforma da Previdência, em 2003.

Na verdade, essa reforma foi um passo a mais na privatização da previdência e uma prova contundente da submissão do governo Lula ao capital financeiro.

A defesa de Roberto Jefferson alega que ele não tinha motivos para receber esse dinheiro porque ele sempre foi a favor das privatizações.

Quem ela chamou como testemunha de defesa?

Quem é que mais entende de privatização no Brasil?

Quem vendeu o rico patrimônio brasileiro a preço de banana?

Fernando Henrique e o PSDB, é claro. (clique aqui)

Além do nefasto ex-presidente, o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, também apareceu para defender Roberto Jefferson.

Só faltou o José Serra.

Poderia-se também sentir a falta de Arthur Virgílio. Mas, como o ele é apenas um papagaio de FHC, a presença do próprio retirou-lhe a utilidade.

FHC e Alckmin foram dizer que Jefferson é, como eles, a favor de vender o Brasil.

Nem precisava de tanto.

Todos já sabem disso.

A propósito, FHC entrou no tribunal por uma garagem reservada, geralmente utilizada para o transporte de criminosos.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

A Coréia do Norte tem o direito de defender-se


A Coréia do Norte é um dos países mais ameaçados do mundo. Tal como o Irã e o Iraque, foi incluído por George Bush no "eixo do mal". Contra os norte-coreanos recai um enfurecido bloqueio econômico e político.

Os imperialistas do Japão, da Coréia do Sul e dos Estados Unidos coçam as mãos ansiosos pelo momento de atacar a Coréia Socialista.

Espalham pelo mundo inteiro, através da mídia colonizada e colonialista, de que a Coréia do Norte é uma ameça à paz mundial.

Mas, em quantas guerras a Coréia do Norte esteve envolvida nos últimos 50 anos?

Qual o país que possui tropas ocupantes e bases militares em todas as regiões do planeta? É a Coréia do Norte?

Quem invadiu Iuguslávia, o Afeganistão e o Iraque, para ficarmos apenas nas vítimas mais recentes?

Quem reativou uma frota militar para patrulhar as águas da América Latina?

A Coréia do Norte não é uma ameaça para a paz.

Pelo contrário, foi a Coréia do Sul que aderiu ao tratado militar proposto pelos Estados Unidos para controlar o comércio da península da Coréia.

E não se deram nem ao trabalho de inventar uma nova desculpa. Utilizaram o mesmo surrado e mentiroso argumento das armas de destruição em massa.

Entretato, são os Estados Unidos os primeiros a violar o Tratado de Não Proliferação Nuclear.

Por esse tratado, não apenas a fabricação de novas armas deve ser evitada, mas também os países que as possuem deveriam desmontá-las. Os Estados Unidos, ao contrário, gastam bilhões de dólares no desenvolvimento e aprimimoramento de armas cada vez mais letais.

Quem impediria os Estados Unidos de atacar a Coréia do Norte?

A ONU?

Igual como ela fez com o Iraque?

Todos os países têm o direito de defender seu povo e território.

É isso que os norte-coreanos estão fazendo.

E, diga-se, com muita coragem e competência.

Clique aqui para ver um site de notícias produzido pela Coréia do Norte

Clique aqui para ver fotos da Coréia do Norte

sábado, 23 de maio de 2009

Dinheiro fácil (às nossas custas)!


Entra governo, sai governo e a ladainha privatizante é a mesma:

O governo não tem dinheiro para investir, a iniciativa privada vai modernizar o setor, blá, blá, blá...

Porém, ato-contínuo à privatização, eis que a empresa que ganhou o leilão vai às portas do governo.

Fazer o quê?

Pedir dinheiro emprestado!

Ora, se o problema era que o governo não tinha dinheiro pra investir, como é que acha dinheiro pra emprestar?

Por exemplo, na semana passada, o BNDES emprestou R$ 756 milhões para o grupo espanhol OHL que venceu o leilão de cinco importantes rodovias federais no Sul e Sudeste do país, entre elas a Fernão Dias que liga São Paulo a Belo Horizonte. (clique aqui)

O BNDES não divulgou a taxa que a OHL vai pagar pelo empréstimo mas, mesmo assim, já estuda um novo empréstimo ao grupo espanhol.

E isso porque estamos falando de estradas, um empreendimento que nem sequer envolve transferência de tecnologia.

Assim é muito fácil ganhar dinheiro!

Aliás, a mesma OHL registrou um aumento de 101% do tráfego pagante de pedágio e um crescimento de 40% da sua receita em relação ao ano passado.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

O petróleo precisa voltar a ser nosso


Apesar da resistência popular, a sanha privatizante de FHC, o sombrio, atingiu a Petrobrás.

O governo do PSDB vendeu 1/3 das ações da Petrobrás por menos de 10% do seu valor na bolsa de Nova Iorque.

Os tucanalhas acabaram também com a exclusividade da estatal na extração de petróleo, obrigando a Petrobrás, que durante décadas investiu no Brasil, a concorrer com outras multinacionais que não investiram nada e nem tem compromisso com o desenvolvimento nacional.

Clique aqui para ler a entrevista de Fernando Siqueira, presidente da AEPET (Associação dos Engenheiros da Petrobrás)

Para regular essa competição, criou-se a ANP (Agência Nacional do Petróleo).

Como se não bastasse, essa ANP preocupa-se antes de tudo em garantir os interesses das multinacionais do petróleo, realizando leilões de reservas bilionárias a preço de banana.

Uma prova disso é a presença de Nelson Narciso Filho, funcionário da Helliburton, empresa petrolífera do ex-vice-presidente dos Estados Unidos, Dick Cheney, na direção da ANP. (clique aqui)

Aliás, semana passada, a ANP negou um pedido da Petrobrás de prolongamento do tempo de exploração de áreas do Pré-Sal na Bacia de Santos. (clique aqui)

Portanto, se o governo Lula quisesse realmente acabar com os intereses de rapina sobre o petróleo do Brasil, deveria demitir todos os diretores da ANP por incompetência e entreguismo.

Mas, se estivesse realmente interessado em defender os interesses nacionais, deveria seguir o exemplo de Evo Morales e nacionalizar a Petrobrás e o petróleo do país.

A CPI da Petrobrás é mais uma desesperada tentativa dos tucanalhas de realizar seu grande sonho lesa-pátria: privatizar a Petrobrás e botar a mão no Pré-Sal.

Mas o tiro pode sair pela culatra.

Ao mecherem na Petrobrás, o PSDB expõe a urgente necessidade de anular as privatizações realizadas por FHC, o sombrio.

Agora, Lula não pode mais ficar em cima do muro.

Ou defende a Petrobrás e nacionaliza de fato e de direito o petróleo do Brasil, ou vai assistir, como cúmplice, a mais um crime do PSDB contra a nação.

O PETRÓLEO PRECISA VOLTAR A SER NOSSO.

sábado, 16 de maio de 2009

Não nos enganemos: O PSDB quer privatizar a Petrobrás



A proposta de CPI da Petrobrás não engana ninguém.

É mais uma tentativa dos tucanalhas de realizar seu grande sonho lesa-pátria: VENDER A PETROBRÁS.

A Petrobrás é o símbolo da economia nacional.

É a prova irrefutavel da superioridade das empresas estatais sobre a ganância do setor privado.

Sua criação é fruto de uma das mais memoráveis campanhas populares da história do Brasil.

Campanhas como essas, nos dias de hoje, recebem sempre a caluniosa acusação de serem "populistas".

Mas a Petrobrás mostra a todos e a todos os momentos a mentira e o entreguismo dos tucanalhas.

Privatizar a Petrobrás (e o Banco do Brasil) era uma idéia fixa de FHC, o nefasto. (clique aqui)

FHC, do alto de sua arrogância, queria propor inclusive a mudança do nome da empresa para Petrobrax. O sufixo "brás" assim como tudo que remete ao nome de nosso país é um tormento constante para todos os tucanalhas.

Agora, o PSDB quer inventar uma CPI, mais um factóide, para pressionar o governo na hora de regulamentar a exploração do Pré-Sal.

Assim, mais uma vez, o PSDB defende os interesses dos Estados Unidos. (clique aqui)

Mas, como ignorantes que são, os tucanalhas deram um tiro no pé.

Ao mexerem na Petrobrás, o PSDB acende o orgulho patriótico do povo brasileiro.

Só que é justamente esse sentimento que a imprensa colonizada gasta toneladas de jornais e revistas para mantê-lo adormecido.

Tucanalhas, prestem atenção e aprendam de uma vez por todas:

A Petrobrás NÃO será privatizada!

O PETRÓLEO É NOSSO!

(Na próxima postagem: o que o governo deveria fazer - e não está fazendo - para defender a Petrobrás)

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Trabalhadores não aceitam redução de direitos


Os trabalhadores da Randon S. A. , em Caxias do Sul (RS) ,deram um exemplo a ser seguido por todos os trabalhadores do Brasil.

Em Assembléia, eles negaram a continuação da diminuição de seus direitos trabalhistas. (clique aqui para ler)

A Randon é um grande conglomerado industrial do ramo de autopeças. Alegando prejuízos com a crise, a empresa propôs uma redução de 10,8% nos salários dos trabalhadores.

Ou seja, como todos os capitalistas do mundo, os diretores da Randon queriam que os operários pagassem pela crise.

Mas os operários não são os responsáveis pela crise.

Não foram eles que lucraram bilhões com a especulação financeira.

Por que tem que cair sobre seus ombros os custos da crise?

A verdade é que as empresas preferem repassar seus prejuízos aos trabalhadores ao invés de reduzir seus lucros.

E, se possível, utilizar a ameaça do desemprego para reduzir direitos trabalhistas. (clique aqui para ler)

Pior: mesmo quando os trabalhadores aceitam a redução do salário, ainda assim as demissões são realizadas.

Na própria Caxias do Sul, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos, 6 mil trabalhadores foram demitidos mesmo após aceitarem a redução do salário.

A proposta da redução de direitos é uma afronta à classe trabalhadora.

Os trabalhadores não podem pagar pela crise!

quarta-feira, 13 de maio de 2009

A mudança não pode esperar


O que deve fazer um governo de esquerda logo após ser eleito?

Deve, imediatamente, iniciar seu programa de reformas? Ou deve implementar reformas aos poucos, sem um enfrentamento direto com os setores conservadores?

Apesar de admitir que a situação possa variar de caso a caso, penso que a regra geral é que as mudanças devem ser postas em práticas, de forma clara, imediatamente após a posse.

É verdade que essa estratégia terá como consequência toda a sorte de ataques, mentiras e provocações, típicas da reação conservadora. No passado a UDN, hoje PSDB/PFL e seus representantes Veja, Globo, Folha de São Paulo e etc.

Mas a opção contrária é ainda pior.

Ela deixa com que as forças progressitas que levantaram-se e venceram as eleições sejam desmobilizadas.

Cria o risco que o govenro perca-se em meio à administração cotidiana da máquina pública que, além do mais, será ainda mais díficil devido aos ataques da reação.

Penso que conseguir que o povo continue mobilizado após as eleições é o grande desafio. É apenas com essas forças que um governo de esqueda pode contar com segurança.

Evo Morales nacionalizou os gás e o petróleo da Bolívia nos primeiros meses de seu governo. Rafael Corrêa propôs uma nova - e melhor - constituição para o Equador também logo no início de seu mandato.

Como disse o economista francês François Chesnais em uma entrevista há alguns anos, o presidente Lula deveria ter convocado, logo após a posse em 2002, ou ainda durante a transição, uma grande assembléia no Maracanã e convocado o povo para defender as reformas que sua eleição simbolizou.

Isso o teria poupado de se ver obrigado a "negociar" com o PMDB de Sarney e o PTB de Roberto Jefferson.

Pouparia também a muitos de nós de termos que votar no Lula principalmente para não permitir o desastre que seria a volta do PSDB.

Talvez eu possa ser questionado por subestimar o poder dos conservadores.

Mas, de que adianta um governo de esquerda que não executa as mudanças pelas quais o povo tanto espera?


sexta-feira, 8 de maio de 2009

A quem interessa o vazamento de informações?


A operação Castelo de Areia, executada pela Polícia Federal, descobriu indícios de um esquema de financiamento ilegal de campanha envolvendo a Camargo Corrêa, a Fiesp e vários partidos, a maioria da oposição. (clique aqui para ler)

A suspeita começou quando os agentes da polícia gravaram uma ligação em que os diretores da Camargo Corrêa acertavam uma doação “por fora” a esses partidos.

Segundo as notícias veiculadas pela imprensa, o Senador Agripino Maia, do PFL do RN, recebeu "por fora" R$ 300 mil da Camargo Corrêa. (clique aqui para ler).

Para quem não lembra, Agripino Maia é aquele senador que reclamou com a Ministra Dilma Rousseff por ela não ter colaborado com a ditadura.

Não me arrisco a afirmar que essas gravações são verdadeiras. A imprensa colonizada não merece esse crédito.

Mas, pergunto: a quem interessa o vazamento de operações ANTES de sua conclusão?

Logo após a notícia, começaram os já previsíveis ataques contra a PF. O argumento é que houve um "vazamento seletivo" de informações com viés político, objetivando prejudicar a oposição.

"A Polícia Federal exorbitou", disse Agripino.

"Esta história está com toda a pinta de trapalhada", emendou o presidente do PSDB, Sen. Sérgio Guerra.

"Pior que grampo é a interpretação do grampo", completou o Dep. Marcelo Itagiba, do PMDB.

Gostaria de perguntar ao nobre deputado: que outra interpretação pode ser feita de doações "por fora”?

Se, digamos, a gravação fosse de um ministro do PT falando sobre doações “por fora” ao MST, qual seria a interpretação que o Dep. Itagiba faria?

Agora, o STF permitiu que o Sen. Agripino tenha acesso às informações sigilosas da operação. (clique aqui para ler).

Ou seja:

SE HOUVE MESMO UM VAZAMENTO SELETIVO DE INFORMAÇÕES ELE FAVORECEU O SEN. AGRIPINO E OS DEMAIS CITADOS.

Essa tática, aliás, é a mesma usada contra a Operação Satiagraha, que prendeu Daniel Dantas.

Mais uma vez o foco da investigação passa a ser os "excessos" e a "pirotecnia" da PF.

Enquanto que o investigado (que nem sequer foi indiciado ainda) ganha tempo e informações privilegiadas para montar sua defesa, atrapalhar a investigação e destruir as possíveis provas incriminadoras.